Seguidores

15 de julho de 2012

Os caquinhos da Adélia

«Desfiando memórias em “Euracini, de pátrias e maresias”, já colei os meus caquinhos nesta “Canção de mar”»

Adélia Vaz, ” Na memória procura-se a metáfora”.


A Adélia foi minha professora e é uma das minhas maiores amigas. Comunga comigo o gosto pela poesia e pela pintura (foi a minha mestra de Desenho). É, como eu, uma angolana de coração na diáspora.

Tudo nos aproxima. Tanto que, de quando em vez, escrevemos a duas mãos. Ou eu trabalho sobre um poema seu, ou trabalha ela sobre um da minha autoria. Na“Canção de mar” que se segue a Adélia re-compôs o meu poema. É, portanto, com inteira verdade que ela afirma “já colei os meus caquinhos nesta ‘Canção de mar’.




Canção de Mar a 2 vozes


o mar te mata

quando a maré recolhe búzios coloridos
do sol de um país ao sul

a maré... os búzios...o sol...
em perfeita união... reunidos
me conduzem...ao sul

o mar me afaga
o mar me mata
saudade!!!


o mar te mata

quando a nata do marulho lastra odores
do chão de um país ao sul

o marulho...os odores...
sussurros em sabores
me conduzem... ao sul

o mar me afaga
o mar me mata
saudade!!!


o mar te mata

quando a brisa espalha os sons feridos
do batuque de um país ao sul

a brisa... os sons... batuque
baloiços em balanços... idos
me conduzem...ao sul

o mar me afaga
o mar me mata
saudade!!!


o mar te mata

quando o sal dos lábios traz sabores
de manga de um país ao sul

o sal... a manga... lábios sabores
doçura... sápios amores
me conduzem...ao sul

o mar me afaga
o mar me mata
saudade!!!


o mar te mata

quando a ressaca embala as fúrias
da calema de um país ao sul

ressacada... a calema... as fúrias...
destravadas... em lamúrias
me conduzem... ao sul

o mar me afaga
o mar me mata
saudade!!!


o mar te mata

quando a vazante solta pinchos
numa praia de um país ao sul

na praia... da vazante... pinchos
amarras fortes ... guinchos
me conduzem...ao sul

o mar me afaga
o mar me mata
saudade!!!


o mar te mata

quando a areia arrasta o ouro
do deserto de um país ao sul

a areia... ouro... deserto
tesouro meu... do longe... o perto
me conduzem... ao sul

o mar me afaga
o mar me mata
saudade!!!


o mar te mata

quando os ares soltam guinchos
de gaivina de um país ao sul

guinchos... aves... a gaivina
recordação graciosa ... menina
me conduzem... ao sul

o mar me afaga
o mar me mata
saudade!!!


o mar te mata

se da vaga emerge o louro
esquecido de um país ao sul.

na vaga... o louro... dum país...
emergente constante... "ser feliz"
me conduzem...ao sul

o mar me afaga
o mar me mata
saudade!!!


o mar te mata

o mar nos mata

de amor.

do mar... memórias vividas
do estar... ser... em nós
estórias reerguidas...
marulhando... em alta voz

o mar me afaga
o mar me mata
SAUDADE!!!



admário costa lindo & Adélia Vaz

Sem comentários:

Publicar um comentário